sexta-feira, 19 de abril de 2013

Diabéticos tem nova tecnologia para médicos


Este Sistema de Monitorização Remota de Diabéticos vai ser hoje apresentado e destina-se a utilizadores de bombas de insulina, geralmente doentes com diabetes tipo 1 que precisam de dar mais de quatro injeções e insulina por dia.
Estas bombas administram insulina continuamente, de acordo com a programação que é feita inicialmente -- em função de diversos fatores, como a alimentação do doente --, necessitando de alguns ajustes feitos com a ajuda do profissional de saúde.
"As pessoas com diabetes conseguem, a partir de casa, enviar informação, que é introduzida no sistema da APDP [Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal]. Se os valores estiverem fora dos valores ideais, o profissional de saúde é imediatamente informado e entra em contacto com o doente", explicou à Lusa João Raposo, diretor clínico da APDP.
O responsável esclareceu que, através de smartphone, o médico tem acesso imediato aos dados da pessoa com diabetes e à sua ficha clínica.
O doente pode enviar a informação por sms ou por e-mail e esta informação entra automaticamente no sistema da APDP, que interage com o processo clínico (do qual consta o que o médico definiu como valores esperados).