segunda-feira, 13 de maio de 2013

ONU: insetos podem ajudar a combater a fome Besouros, gafanhotos e formigas são fontes ricas em proteína, mas são repugnados por muitos consumidores especialmente no ocidente



Um relatório das Nações Unidas divulgado nesta segunda-feira destacou a importância do papel dos insetos comestíveis na luta contra a fome no mundo.

Segundo o diretor da FAO (Organização de Comida e Agricultura das Nações Unidas, na sigla em inglês), José Graziano da Silva, eles são uma fonte importante e amplamente disponível de proteínas. Ele participou da Conferência Internacional de Florestas para comida segura e nutrição em Roma, nesta segunda-feira.

De acordo com o novo estudo da organização, estima-se que insetos formem parte das dietas tradicionais de pelo menos dois milhões de pessoas. A coleta de insetos e agricultura pode oferecer emprego e renda em dinheiro, principalmente a nível familiar, mas também em operações industriais. Isso porque eles são altamente nutritivos e fáceis de reproduzir, além de poderem ser usados como alimentos para peixes e gado.

Segundo o diretor, os animais selvagens e insetos como besouros, gafanhotos e formigas são muitas vezes a principal fonte de proteína para pessoas em áreas de floresta, enquanto as folhas, sementes, cogumelos, mel e frutas fornecem vitaminas e minerais.

Entretanto, o diretor disse que os recursos encontrados nas florestas não são considerados em políticas de uso de terra e segurança alimentar. “Muitas vezes, a população rural não tem direitos de acesso seguro para as florestas e árvores", afirmou. Além disso, a repugnância de muitos consumidores, especialmente de países ocidentais, constitui uma barreira para a inclusão deste tipo de alimento na dieta global.